Coragem

 

  • Combateu a ditadura militar (1964-1985) por vias democráticas, junto com o MDB (Movimento Democrático Brasileiro), sigla que reuniu opositores ao regime militar de diversas vertentes e pensamentos, enquanto muitos jovens militantes de esquerda enveredaram pelo equivocado e arriscado caminho da luta armada;
  • Atuou na linha de frente na campanha pela Anistia aos presos e perseguidos políticos e também na campanha pelas Diretas Já;
  • Participou ativamente dos processos de impeachment de Fernando Collor (1992) e Dilma Roussef (2016) e agiu de forma responsável, dando sustentação para os governos de transição, Itamar Franco e Michel Temer, respectivamente;
  • Fez oposição ao governo de Luís Inacio Lula da Silva quando ainda havia grande euforia em torno desse governo, deixando sua base de apoio em 2004, antes mesmo da explosão do escândalo do chamado Mensalão, por discordâncias com relação à política econômica praticada por Lula;
  • Rompeu com o governo Temer após as denúncias de corrupção contra  o presidente e entregou o cargo de ministro da Cultura (2017).